domingo, 9 de outubro de 2011

DIA DO PROFESSOR

Estamos nos aproximando mais uma vez do DIA DO PROFESSOR (15 de outubro) e isso me faz relembrar desta data num passado remoto, quando eu era apenas aluna, quer seja na infância ou na adolescência, quando minhas colegas e eu aguardávamos ansiosas por esse dia, para fazermos uma festa para a nossa professora, com direito a bolo, refrigerante, docinhos, homenagens, poesias, músicas e até briga no final pra decidir quem levaria um pedaço do bolo que sobrou pra casa. Tempos bons aqueles, cujos valores eram outros, e onde, apesar de todas as dificuldades que se enfrentava, sabia-se valorizar as pessoas.
Depois, recordo-me de um passado não tão distante, quando deixei de ser aluna e passei a ser a professora. Decepcionante. Não existia mais a tradição das festas do Dia do Professor feita com esmero pelos alunos para os seus professores. Sobrevivi. E me acostumei. Seria injusta se dissesse que nunca ganhei uma festa do Dia do Professor, como também seria injusta se não falasse de outras tantas festas e momentos muito bons que, ao longo desses dezoito anos, recebi e compartilhei com inúmeros alunos.
Quantas boas recordações tenho das minhas primeiras professoras: Dona Solange Ubirajara, Dona Socorro Moura, Dona Nilza Ciríaco, Dona Vitória Araújo (que Deus a tenha), pessoas responsáveis pelas minhas primeiras vitórias acadêmicas: as primeiras letras, as minhas primeira aventuras pelo mundo da leitura, os primeiros recitais, o amor aos livros, o amor à escola e o sentimento de pertencimento ao João Rodrigues Cardoso. Quantas festinhas participei e ajudei a organizar para todas elas, quantos cartõezinhos, quantas poesias declamei em suas homenagens. Porém há algo que eu não fiz naquele momento em que estávamos juntas, nem posteriormente: nunca tive um momento para agradecer a cada uma delas, nunca lhes disse: OBRIGADA, professora, a senhora é importante na minha vida! Fez parte da minha história.
E quando, enfim, entrei na quinta série e tive que aprender a conviver com vários professores todos os dias, tive o prazer de ter como professora da minha disciplina preferida, Januacele Francisca, uma jovem idealista, que estava começando a trilhar o caminho da docência. Menina/moça, meio moleca, totalmente adolescente em seu coração e infinitamente bela em suas ações. Ensinou-me muitas, infinitas coisas. Para ela fizemos várias festinhas, não só no Dia do Professor, mas também no seu aniversário. A ela já tive o prazer de agradecer várias vezes, inclusive em momento solene, porém não me canso de dizer que a ela devo muito do que sou hoje. Inclusive o fato de também ser professora de Língua Portuguesa e de gostar de ler e de escrever, não tão bem quanto ela, ou quanto eu gostaria, mas vivenciando o prazer de expor meus sentimentos.
Há poucos dias do Dia do Professor, não espero festas; também não farei festas, não sou (infelizmente) mais aluna; mas espero um dia ver o reconhecimento nos olhos de algum ex aluno e ter a certeza de que eu também fiz parte da história de alguém.
FELIZ DIA DO PROFESSOR A TODOS NÓS QUE “MATAMOS UM LEÃO POR DIA” TENTANDO TRANSMITIR O POUCO/MUITO QUE SABEMOS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário